quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Prefeito de Apodi tem mandato cassado pela Câmara Municipal

G1 RN – O prefeito de Apodi, Flaviano Monteiro (PC do B), teve o mandato cassado na manhã desta quinta-feira (25) pela Câmara Municipal. Na sessão, os 13 vereadores decidiram (9 votos a favor e 4 abstenções) pelo afastamento de Flaviano e pela posse do vice, José Maria da Silva, que deve ser feita já nesta sexta (26). Apodi fica a 342 quilômetros de Natal, na região Oeste do Rio Grande do Norte. 

O presidente da Câmara Municipal, Filho Neto, disse ao G1 que a sessão foi tumultuada, mas dentro da legalidade. “O prefeito já vinha sendo investigado por uma Comissão Especial de Inquérito pelo fato de não ter enviado documentos solicitados pela Câmara. Hoje, após várias sessões, votamos a cassação, que foi decidida pelos vereadores”, explicou. A Polícia Militar chegou a ser acionada durante a sessão. 

A Comissão Especial de Inquérito (CEI) para investigar a ausência do envio de informações por parte do prefeito à Câmara foi aberta em maio do ano passado. À época, o relator Ângelo Suassuna informou que Flaviano Monteiro foi investigado durante 40 dias por crime político-administrativo. O prefeito deixou de responder a nove documentos oficiais da Câmara, que solicitavam informações sobre prestação de contas do Município.

domingo, 21 de agosto de 2016

Cearense é presa pela Policia Militar em Areia Branca instalando “Chupa Cabra” em caixa eletrônico



A policia militar de Areia Branca prendeu na manhã de hoje, 20 de agosto, a Cearense Regina Andrea Negreiros Alves Ramos, de 41 anos de idade, natural da cidade de Itapipoca, instalando um aparelho “Chupa Cabra” para retirar dinheiro de um terminal de caixas eletrônicos na cidade de Areia Branca. 



Os polícias prenderam Regina dentro da Agência e encontraram o chupa cabra instalado no caixa com o cartão de uma idosa, preso no equipamento fraudulento. O crime é considerado furto qualificado e quando foi flagrada, ela ofereceu 5 mil reais aos policiais para não ser presa. 



Segundo o Capitão Almeida, comandante da Companhia de Policia de Areia Branca, a policia foi acionada pela central de segurança da caixa econômica, informando que essa pessoa era acusada de praticar o mesmo delito em várias cidades nos estados do Ceará e Rio Grande do Norte. 



Regina Andrea Negreiros Alves Ramos foi conduzida a Polícia Federal em Mossoró onde foi autuada por furto qualificado e corrupção ativa “por oferecer dinheiro a policia”. Depois dos procedimentos, ela foi encaminhada para exames no Itep e deverá ser conduzida para o presidio feminino, na Penitenciaria Agrícola Mário Negocio em Mossoró, onde aguardará a decisão da justiça. 
pOR > o câmera

VEM AI O PRIMEIRO CHUVA DE ROSAS UM ARRASTÃO PARA CRISTO



Em abertura a festa da nossa padroeira, Santa Teresinha!
Com músicas católicas em ritmo de frevo, iremos louvar ao Senhor com alegria, no dia 10/09, por volta das 18h, logo após a Santa Missa, saindo da Capela Rainha da Paz. 
Junte-se a nós. 

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Suspeito de matar mulher com facada em Mossoró é preso em Tibau

Montador de móveis, Alberto Sinésio de Melo foi preso nesta quinta (18). Dona de casa, Franciscris Fernandes, 24 anos, morreu no domingo (14). Policiais civis da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Mossoró cumpriram um mandado expedido pela Justiça e prenderam, na manhã desta quinta-feira (18) na cidade de Tibau, na região Oeste potiguar, o montador de móveis Alberto Sinésio de Melo, de 41 anos, apontado como suspeito de matar a própria companheira neste último final de semana. Dona de casa, Franciscris Silva Fernandes, de 24 anos, levou uma facada durante uma discussão.

O crime aconteceu sábado (13) no bairro Planalto 13 de Maio. A mulher foi levada para o Hospital Regional Tarcísio Maia e submetida a uma cirurgia, mas não resistiu ao ferimento e faleceu na madrugada do domingo (14). O caso foi registrado na Delegacia de Plantão da cidade como violência doméstica seguida de morte. A faca usada no crime foi encontrada sob o telhado da casa e apreendida.

Alberto Sinésio de Melo se apresentou à polícia na terça-feira (16) acompanhado de um advogado. Em depoimento, ele disse que agiu em legítima defesa, já que a mulher teria tentado esfaqueá-lo durante a discussão. Após ser ouvido, foi liberado. O delegado Rafael Arraes informou que o inquérito foi concluído e remetido à Justiça juntamente com um pedido de mandado de prisão contra o suspeito.

"Com o mandado expedido, fomos à residência da família dele em Tibau e o prendemos. Ele agora vai responder pelo crime de feminicídio, que é quando acontece uma morte intencional de pessoa do sexo feminino", explicou Arraes. Ainda de acordo com o delegado, Alberto ainda responderá pelos agravantes de ter assassinado a companheira por motivo fútil e impossibilidade de defesa da vítima. 
Por Anderson Barbosa - Portal G1

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

PMs alegavam 'aplicar justiça' para executar suspeitos, denuncia MP/RN

Policiais presos em 22 de junho, em Mossoró, são suspeitos de 14 mortes.

Promotores já ofereceram denúncias relativas a sete assassinatos.


Operação Intocáveis foi realizada na manhã desta quarta-feira em Mossoró (Foto: Hermes Castro/Mossoró Hoje)Operação Intocáveis foi deflagrada em junho, em Mossoró (Foto: Hermes Castro/Mossoró Hoje)
“Um grupo de extermínio composto por policiais militares que cometiam crimes de homicídio sob a alegação de ‘aplicar a justiça’”. É assim que o Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Rio Grande do Norte, define a atuação de seis policiais militares e um motorista acusados de, pelo menos, 14 assassinatos em Mossoró e outras cidades do Oeste potiguar. Os promotores já ofereceram denúncias relativas a sete assassinatos. A defesa dos PMs diz que ainda não tem total conhecimento das acusações sobre eles.
G1 teve acesso a essas denúncias. Os documentos se baseiam na investigação da Força Nacional que culminou com a deflagração da Operação Intocáveis, em 22 de junho passado. De acordo com as denúncias do Gaeco, o grupo justificava os crimes como “legítima defesa” e “no cumprimento do dever legal”.
As denúncias, relativas a sete assassinatos e uma tentativa de homicídio, são assinadas por cinco promotores públicos e foram remetidas a um colegiado de juízes formado na 1ª Vara Criminal da Zona Sul de Natal. Como os juízes receberam essas denúncias, os seis PMs e o motorista, que cumprem prisões preventivas, já são réus nos processos. “Essa foi apenas a primeira remessa de denúncias. Outras estão sendo concluídas e serão entregues no tempo legal”, diz o Gaeco.
Policiais da Força Nacional participaram da operação (Foto: Hermes Castro/Mossoró Hoje)Força Nacional foi quem realizou operação que terminou com PMs presos (Foto: Hermes Castro/Mossoró Hoje)
O advogado Gilmar Fernandes de Queiroz, que defende os policiais militares e o motorista presos, diz que ainda não tem total conhecimento das acusações. "Como somente nesta quarta-feira (10) é que fui legalmente constituído como advogado deles, ainda não tenho total conhecimento das acusações. Conversei com todos no dia da operação. O que sei é que há alguns homicídios sendo atribuídos a eles e que, pelo o que eles me disseram, esses casos têm relação a ações policiais", disse.
O comandante-geral da Polícia Militar, informou que há a possibilidade de os policiais serem expulsos da corporação. "Se for provado que eles agiram fora da lei e forem condenados por isso, há sim a possibilidade de serem expulsos. Temos que aguardar a decisão judicial", falou.
'Vítima friamente executada'
O primeiro caso denunciado pelo Gaeco é relativo à morte de Rafael Faustino de Sá. O crime foi cometido por volta das 17h de 26 de janeiro de 2013, na rua Maria Segunda da Trindade, emMossoró. Os policiais militares Renixon Felício da Silva, Allan George de Menezes e Franciné Nogueira da Silva respondem por esse homicídio.

Em depoimento à Polícia Civil no dia do crime, o cabo Renixon admitiu que fazia um patrulhamento no bairro Planalto da Liberdade quando foram abordados por populares. Essas pessoas informaram que “ali próximo, em uma residência, estava ocorrendo uma bebedeira o qual estava presente a pessoa de ‘Rafael Preto’, o qual é assaltante e homicida, inclusive foragida do Ceduc [Centro Educacional para Adolescentes Infratores]”. O policial disse que ele e os policiais Allan Menezes e Franciné Nogueira foram recebidos à bala. “Em virtude das circunstâncias, a sua pessoa e demais membros de sua equipe revidaram à agressão e adentraram na residência, ocasião em que ‘Rafael Preto’ fora atingido”, diz trecho das declarações do PM. Ele ainda falou que foi apreendido um revólver calibre 30 em poder da vítima.
No dia de janeiro de 2014, em nova declaração à Polícia Civil, o cabo Renixon ratificou o que já havia dito. Ele falou que “não sabe efetivamente se acertou a vítima, no entanto, tanto o declarante [ele], quanto os seus companheiros efetuaram disparos”. Para o Gaeco, ao afirmarem que teriam revidado a disparos de arma de fogo, os três policiais alegam de se tratar de uma “situação excludente de ilicitude”.
A arma entregue pelos PMs à Polícia Civil e que teria sido apreendida com Rafael Preto foi periciada. O Laudo de Exame em Arma de Fogo obteve “resultado negativo para possíveis resíduos dos produtos da combustão da pólvora sem fumaça no interior do cano e da câmara da arma de fogo, indicando a inexistência de disparo”.
Para o Gaeco, esse laudo e depoimentos de testemunhas que estavam presentes no momento do crime “permite concluir que a vítima foi friamente executada pelos policiais denunciados”. Testemunhas disseram à Força Nacional que no momento da abordagem, Rafael estava desarmado.
'Vítima retirada do carro, despida e atingida por três disparos'
A segunda execução denunciada pelo Gaego é a de João Carlos Andrade de Lima, ocorrida por volta das 21h de 18 de julho de 2015. Segundo os promotores, João Carlos estava em frente a um comércio no bairro Aeroporto 2, em Mossoró, quando foi surpreendido com a chegada de uma caminhonete branca com quatro homens armados. Na denúncia, o MP diz que “a vítima foi levada pelos quatro homens no referido veículo até uma estrada carroçável localizada no Sítio Santana, zona rural de Mossoró, local onde foi retirada do carro, despida e em seguida atingida por três disparos de arma de fogo calibre 12”.

Para os promotores, baseando-se em investigação policial, os PMs Alex José de Oliveira e Edimar Gomes da Silva, e outros dois homens ainda não identificados foram os autores do crime.
Ao chegarem ao local onde João Carlos estava, segundo relato de testemunhas à polícia, Alex José e Edimar Gomes “desceram do veículo, com armas longas em punho, e se dirigiram até a vítima”. De acordo com a denúncia, o PM Alex José “passou a agredir a vítima fisicamente, tendo, logo em seguida, acompanhado de Edimar Gomes, a colocado no banco de trás da caminhonete branca e partido do local, com os outros dois homens ainda não identificados”. Para o Gaego, “a vítima ficou impossibilitada de se defender, visto que foi sequestrada por quatro homens fortemente armados”.
A motivação para o crime, pelo o que foi apurado pelo MP, seria o fato de a vítima “ser usuária de droga, envolvida com a prática de delitos, e ainda por ter agredido, no mesmo dia, um idoso, pai de um policial militar”.
Na denúncia, os promotores ressaltam ainda que Alex José e Edimar Gomes, mesmo usando capuzes no dia da morte de João Carlos, “foram identificados em razão de seus olhos, sobrancelhas, compleições físicas e vozes”. Esse reconhecimento físico foi feito por três testemunhas.
'Surpreenderam as vítimas enquanto dormiam'
Carlos Daniel Ferreira Bezerra e Francisco Fábio Bezerra de Souza foram mortos com tiros na cabeça na madrugada de 29 de novembro de 2015. Os dois, segundo as investigações da Força Nacional, estavam dormindo em um barracão na rua Flávio Jerônimo, no Alto da Pelonha, quando foram surpreendidos pelos policiais militares Edimar Gomes da Silva, Renixon Felício da Silva e Paulo Cézar da Silva. O duplo assassinato foi cometido por volta das 3h30.

Segundo Laudos de Exame Necroscópicos, Carlos Daniel foi morto com um tiro na testa. Francisco Fábio foi atingido por um tiro na nuca. Os dois tinham histórico de roubos e furtos em Mossoró. Segundo relato de testemunhas à polícia, Carlos Daniel havia sido “jurado” pelo policial militar Edimar Gomes pelo fato de ter furtado passarinhos do pai do PM. Francisco Fábio já havia sofrido uma tentativa de homicídio em 2014. Segundo a denúncia, o autor dessa tentativa foi o PM Paulo Cézar da Silva. O crime foi motivado por um furto de uma motocicleta.
De acordo com os promotores do Gaeco, os três policiais estavam “irresignados e determinados a executar Francisco Fábio e Carlos Daniel”. Tanto que passaram a monitorar a rotina das vítimas. No dia do crime, ao confirmarem onde os dois estavam, os policiais militares “aproximaram-se do barracão onde estavam as vítimas em um veículo tipo picape, tentaram entrar pela porta da frente, mas estava trancada com cadeado”. E continua trecho da denúncia: “Assim, adentraram o barracão pela porta dos fundos e surpreenderam as vítimas enquanto dormiam. Ato contínuo, as alvejaram com disparos de arma de fogo na cabeça e empreenderam fuga para local ignorado”.
'Ninguém viu nada!'
O quarto caso denunciado pelo Gaeco à Justiça diz respeito à morte de Leonardo Moreira de Oliveira, ocorrida dentro de um depósito de gelo na rua Dez de Dezembro, no bairro de Alto de São Manoel, também em Mossoró. O crime foi cometido por volta das 17h30 do dia 17 de dezembro de 2015. Segundo os promotores públicos, os PMs Renixon Felício de Moura, Allan George de Menezes e Franciné Nogueira da Silva Júnior foram os autores do assasinato.

Segundo inquérito policial, Leonardo Moreira havia roubado uma motocicleta momentos antes de ser morto. “Ao perceber que se aproximava uma viatura da Polícia Militar, [Leonardo] começou a correr no sentido de sair da Favela da Vagem, quando passou a ser perseguido pelos policiais militares”, diz o documento.
O inquérito relata que os Renixon Felício e Franciné Nogueira desceram do carro e passaram a perseguir Leonardo correndo. Enquanto isso, o Allan George continuou no carro da PM, na mesma direção deles. “A vítima correu até entrar em um depósito de gelo, a fim de se refugiar”.
Na denúncia, os promotores de Justiça dizem que PM Renixon Felício chegou logo após. “Ao também chegar, ele determinou que as outras pessoas que ali estavam presentes se retirassem e efetuou disparos de arma de fogo, que causaram a morte de Leonardo, impossibilitando, assim, qualquer reação de defesa por parte da vítima, que após ser perseguida, estava ali encurralada e desarmada”.
Ainda de acordo com o Gaego, “após os disparos, Renixon saiu do estabelecimento comercial e disse aos que ali se encontraram que ‘ninguém viu nada!’”. Os promotores relatam também que o “policial Allan ainda determinou que ninguém prestasse socorro à vítima”.
Para o Gaego, mesmo a ocorrência tendo sido decorrente de uma perseguição policial por causa de um roubo de motocicleta, Leonardo foi “friamente executado” pelos PMs. “Tal constatação se deve ao fato de que a vítima estava desarmada, impossibilitada, portanto, de efetuar disparos contra os policiais”. Em depoimento à Polícia Civil, sete testemunhas asseguram que Leonardo não estava armado no momento em que chegou ao depósito de gelo. Mesmo assim, os PMs apresentaram um revólver calibre 38 alegando que a arma havia sido apreendida em poder de Leonardo. Familiares da vítima admitem que ele usava uma arma para cometer assaltos, mas era um revólver calibre 32.
Elton Jonatan e Kelwin Ferreira foram mortos em abril deste ano (Foto: Marcelino Neto/O Câmera)Elton Jonatan e Kelwin Ferreira foram mortos em abril deste ano (Foto: Marcelino Neto/O Câmera)
'Chame o seu irmão'
Um duplo homicídio e uma tentativa de assassinato em Mossoró são o quarto crime atribuído ao grupo que já foi denunciado pelo Gaeco à Justiça. Segundo os promotores, por volta das 15h30 de 1º de abril deste ano, o PM Edimar Gomes da Silva e o motorista Ítalo Ross Soares Carvalho mataram Elton Jonatan Albano de Oliveira e Kelwin Ferreira Laurentino, e tentaram matar Marcos Henrique Silva Gomes.

Os crimes foram cometidos na rua Eduardo Sabóia, no conjunto Integração, na calçada da casa de Elton Jonatan. Segundo inquérito policial, Kelwin e Marcos Henrique estavam conversando na calçada quando dois homens chegaram em uma moto. Um desses homens, de acordo com testemunhas, era Ítalo Ross. Após abordar os dois que estavam na calçada, “Ítalo Ross, com uma pistola em punho, foi até a sala da residência e disse à irmã da vítima: ‘chame o seu irmão Elton, chame logo que é policial civil’”.
Elton Jonatan se levantou e foi até a calçada da casa, juntando-se a Kelwin e Marcos Henrique. Segundo a denúncia do Gaego, Ítalo Ross, efetuou “diversos disparos contra os três, após o que subiu na moto e empreendeu fuga”.
Para o Gaego, Edimar Gomes “tinha pleno domínio do fato criminoso, inclusive foi quem apresentou o executor do crime à vítima”. Os crimes, segundo os promotores, tiveram duas motivações: as vítimas eram amigas de suspeitos de um latrocínio contra um policial militar e consumiam ou vendiam drogas no local do crime.
No entendimento dos promotores públicos, o PM Edimar Gomes seria o mandante dos crimes, enquanto que o motorista Ítalo Ross e um outro homem ainda não identificado seria os executores.
Quatro homens foram assassinados no município de Tibau (Foto: Amanda Melo/G1)Chacina em Tibau aconteceu em agosto do ano passado (Foto: Amanda Melo/G1)
Chacina em Tibau
Um dos crimes atribuídos pela polícia aos policiais é a chacina ocorrida na noite de 12 de agosto do ano passado, no município de Tibau. Quatro pessoas foram executadas na frente de uma casa. Rudson Carlos Araújo, de 40 anos, o filho dele, Rudson Carlos Araújo Filho, 18 anos, o pedreiro Ivanaldo dos Santos Duarte, 45 anos, e o servente de obras Raimundo Edvan Pereira, 51 anos, estavam conversando quando dois homens chegaram ao lugar e iniciaram uma série de disparos. Para a Polícia Civil, os soldados Alex José de Oliveira e Edimar Gomes da Silva foram os assassinos.

A chacina teria relação com um fato ocorrido no dia 19 de julho em Mossoró, quando Robson Carlos de Araújo Gomes, de 16 anos, teria sido morto num suposto confronto com a polícia durante uma perseguição no bairro Santo Antônio. Robson era filho de Rudson, que segundo policiais, teria dado apoio ao filho e atirado nos militares.
Com medo de represálias, Rudson e o filho que sobreviveu teriam ido morar em Tibau. Mas a distância não teria sido o suficiente para barrar a ira de vingança dos soldados Alex e Edimar. Os dois foram indiciados pelos crimes de homicídio qualificado. O processo está em poder do Ministério Público, para que o órgão se manifeste sobre a denúncia ou arquivamento do processo.
No dia em que a ação foi deflagrada, o delegado-geral de Polícia Civil, Stênio Pimentel, confirmou a suspeita. "Essa operação começou com a investigação de vários homicídios que aconteceram nas cidades de Mossoró, Assu e Tibau. No decorrer dessas investigações foi que constatamos indícios de participação de policiais militares na chacina de Tibau", disse Stênio.
Os promotores do Gaeco que assinam as denúncias dizem que outras serão feitas nos próximos dias.
Fonte : G1/RN

terça-feira, 9 de agosto de 2016

Câmara aprova projeto doando terreno para construir base avançada de monitoramento da biota marinha

Heloisa e Bernadete felizes com a aprovação do projeto
A câmara municipal de Areia Branca aprovou a unanimidade projeto do executivo doando um terreno na praia de upanema para construção de uma base avançada do laboratório de monitoramento da biota marinha. Atualmente o projeto cetáceos da costa branca conta com um imóvel alugado onde funciona a base com infraestrutura para manutenção  provisória de animais encalhados vivos e reabilitação de fauna Marin há oriunda do PMP-BP. A professora Bernadete Fragoso falou na FM Costa Branca  sob re a aprovação do projeto que já conta com recursos para iniciar as obras ainda este ano.
Por : Portal Costa Branca

Programação Oficial da Festa de Santa Teresinha 2016



domingo, 7 de agosto de 2016

Tibau nas Olimpíadas

                                                                   


 A cidade de Tibau está representada nos Jogos Olímpicos, no Rio de Janeiro, através de Marcos Alex Silva, estudante do curso de Engenharia Ambiental, na Universidade do Estado do Rio Gande do Norte - UERN.
Marcos Alex se inscreveu, como voluntário, na UERN, e foi o único aluno sorteado para participar de todo o evento junto ao Comitê Olímpico. Ele levou cinquenta garrafas de areia colorida para distribuir no evento. Elas foram confeccionadas pela artesã, Maria Natália Cândido do Nascimento, uma das poucas que ainda sobrevive praticando a arte de encher garrafas em Tibau.

Danielson Santos Silveira, morador em Tibau, comenta: "Quem imaginou há pouco tempo, Tibau num evento desses, inclusive, estudantes participando de Feira de Ciências em Londres, isso é uma coisa bacana para se mostrar, a parte de desenvolvimento educacional, social e humano da cidade, que é o mais importante".   
Por : Blog de Tibau

                             Arte de Tibau nas Olimpíadas
                                       

sábado, 6 de agosto de 2016

Com 21 chefes de facção a bordo, avião da Polícia Federal deixa o RN

Detentos embarcaram com destino a três presídios federais.

Segundo a Sesed, presos ordenaram série de ataques criminosos no estado.


Avião da Polícia Federal decolou com 21 presos; destinos são presídios federais no Paraná, Mato Grosso do Sul e Rondônia (Foto: Clayton Carvalho/Inter TV Cabugi)Avião da Polícia Federal decolou com 21 presos; destinos são presídios federais no Paraná, Mato Grosso do Sul e Rondônia (Foto: Clayton Carvalho/Inter TV Cabugi)
Os 21 detentos apontados como chefes de uma facção criminosa que reivindica os ataques ocorridos nos últimos dias no Rio Grande do Norte deixaram o estado na manhã deste sábado (6) em um avião da Polícia Federal. Algemados, eles embarcaram com destino aos presídios federais de Catanduvas (PR), Campo Grande (MS) e Porto Velho (RO). A aeronave decolou do Aeroporto Internacional Aluízio Alves às 10h.
Presos foram levados para o Aeroporto Internacional Aluízio Alves na manhã deste sábado (6) escoltados por policiais militares do Batalhão de Choque. Helicóptero Potiguar 01 também acompanhou o comboio (Foto: Clayton Carvalho/Inter TV Cabugi)Presos foram levados para o Aeroporto Internacional Aluízio Alves na manhã deste sábado (6) escoltados por policiais militares do Batalhão de Choque. Helicóptero Potiguar 01 também acompanhou o comboio (Foto: Clayton Carvalho/Inter TV Cabugi)Por: G1/RNCONTINUE LENDO

Convenção do PSD em Tibau lotou o Arena Society

 Prefeito vai a reeleição com Lidiane Marques como vice
 Multidão lotou o Arena Society
 O amarelo predominou na convenção de Naldinho em Tibau
 Afranio, Duquinha e Naldinho
 Carla Sabrina primeira dama abraçou os amigos
 Assis participou da convenção do PSD
 Gilvan Rebouças
 Naldinho conta com a força jovem de Tibau
 Carla, Naldinho, Lidiane e Micarla
 Prefeito recebeu o apoio dos amigos e filiados do partido
Souza e Joseana na convenção em Tibau






Vereador Wilton José, desistindo de sua pré-candidatura para apoiar a do seu Irmão Nilton José.